Alimentação Saudavel – Conselhos e Segredos

Conselhos práticos, truques e segredos para uma alimentação saudavel
As combinações dos elementos que os alimentos contêm proporcionam benefícios terapêuticos ou causam danos ao organismo, por isso devemos ter um especial cuidado em seleccionar os alimentos nos ciclos que usamos para os consumir e ter sempre presente que cada ser humano é único no ciclo de vida; temos então de aprender a conhecer e a ouvir o nosso próprio organismo para sabermos o que nos convém e o que não nos convém.

Beber pouca agua às refeições, pois a agua dilui os sucos digestivos.
Não tome alimentos demasiado quentes nem demasiado frios.
Não abuse de molhos, comida muito condimentada, nem de especiarias excitantes.
Não abuse do sal comum.
Para guisar, use apenas óleos vegetais: oliveira, girassol, sésamo, milho, etc., e manteiga.
Para adoçar os alimentos não abuse do açúcar refinado; use principalmente mel, que é glucose (ou açúcar natural), que é fabricado pela natureza, e que nutre o cérebro e os músculos; para as crianças não há melhor alimento de desenvolvimento. Também pode usar açúcar mascavado e melaço.
Todas as refeições devem incluir um prato cru.
As saladas são básicas; devem servir-se como primeiro prato, pois isso melhora o apetite, favorece a digestão e evita a sede durante a refeição.
Não coza demasiado as verduras; o cozimento deve fazer-se a fogo lento e sem excesso de água para evitar
que percam propriedades.
As águas de decocção não devem tirar-se; aproveitam-se para sopas.
É muito conveniente consumir produtos da estação ou colheita, são os mais abundantes e baratos, desenvolvem-se plenamente e são aqueles de que o organismo necessita nesse momento.
É muito conveniente variar nos alimentos diários, pois dessa forma obtêm-se com segurança todos os nutrientes equilibrantes e em quantidade suficiente.
Devem combinar-se os pratos de uma refeição de modo a que os elementos que a compõem se compensem uns aos outros, por exemplo, não servir dois pratos com fécula: lentilhas e feijões, grão-de-bico e alfarroba, etc.
Não coma mais de duas farinhas, mais de dois citrinos, mais de dois óleos.
Procure apresentar os pratos na mesa de forma atraente e ter em conta a sua distribuição, combinação de cores, limpeza, ordem, etc.
A hora da refeição é uma cerimónia; comer em paz, sem cólera e sem desgostos sentimentais é muito recomendável para evitar transtornos digestivos.
Não coma depois de um choque emocional; os choques emocionais fazem com que a transformação dos
alimentos entre em desequilíbrio.
Os ingredientes que sobram ao fazer pastéis, doces ou guisados não devem guardar-se em sacos de papel
ou em latas, pois oxidam-se facilmente; devem ser conservados em frascos de vidro ou de plástico.
O cheiro desagradável que a couve-flor e o repolho exalam, evita-se mergulhando na agua em que se cozem
uma fatia de pão.
Para não chorar ao cortar a cebola, corte-as dentro de um recipiente com agua.
Para desinfectar as hortaliças, as frutas e as verduras, há vários métodos especiais:
– Para eliminar ovos de vermes ou de insectos basta uma solução salina: uma colherada de sal para litro
de água. O sal, ao dissolver a camada de albumina que fixa os ovos aos vegetais, permite que a agua corrente arraste esses ovos durante a lavagem.
– Depois de lavar os tubérculos e os frutos das hortaliças colocam-se num coador e escaldam-se com agua a
ferver, depois passam-se por água fria, e outra vez agua a ferver e agua fria, e assim a camada exterior
fica liberta de germes, mantendo-se o seu interior no estado cru.
– Todas as bactérias (de verduras e frutas) podem também ser eliminadas com uma solução de ácido cítrico (compram-se nas farmácias ou lojas de matérias primas); num litro de agua colocam-se 60 gramas e mergulham-se as hortaliças ou as verduras, etc., durante 15 minutos, depois lavam-se com água
corrente.
– Nos sumos de hortaliças e frutas eliminam-se os germes sem seguir este conselho, ao juntar-se uma quinta
parte de sumo de limão.

Consuma tanto quanto possível alimentos frescos e naturais, pelo menos 50% crus.
Evite alimentos que tenham aditivos químicos, como colorantes, conservantes, saborizantes e água carbonatada dos refrescos.
Consuma os alimentos o mais integrais possível, evitando os produtos refinados.
Minimize o uso de combinações de alimentos e, sobretudo, evite as combinações incorrectas.
Minimize o uso de alimentos pesados, como gorduras, em especial se são de origem animal, carne, ovos e
queijo.
Tente que as suas refeições tenham cerca de 80% de alcalinizantes como: frutas e seus sumos, vegetais crus e seus sumos, vegetais cozidos, sementes, como a amêndoa e o sésamo.
Levante-se da mesa ao chegar ao ponto de saciedade; nunca chegue a ponto de ficar enfartado.
Não misture nunca manteiga derretida e azeite.
Os feijões não devem ser consumidos crus, pois contêm faseína, uma substância altamente tóxica.
As folhas de ruibarbo e da cenoura são tóxicas.
Cada organismo tem as suas peculiaridades; se não se sente bem com um alimento, deite-o fora.
Recorde que mesmo que deixemos de consumir muitos produtos animais, muitas toxinas contidas no que já
comemos permanecem nos nossos órgãos. Para facilitar a sua eliminação, devemos ter em conta:
– Ao consumir cebolas, eliminaremos toxinas da carne.
– Ao consumir rabanetes eliminaremos toxinas de peixes.
– Ao consumir cogumelos eliminaremos toxinas de ovos e aves.
– Ao consumir alface, eliminaremos toxinas do queijo.
– Ao consumir cenouras, eliminaremos toxinas do porco.

As pessoas com estomago delicado aconselha-se consumir legumes (feijões, lentilhas, favas, grão-de-bico)
em forma de puré.
As infusões devem ser preparadas em recipientes de vidro, porcelana ou aço inoxidável, nunca em aluminio.
As infusões não devem ser reaquecidas.
A beterraba sacarina contém oxalatos e ácido úrico, pelo que não é apropriada a quem sofre de cálculos
renais e níveis elevados de ácido úrico no sangue.
Recomenda-se que se consumam espinafres sem se misturar com leite ou qualquer dos seus derivados, pois não serão bem assimilados, devido à incompatibilidade digestiva do ferro e cálcio.
Se um guisado ficou demasiado gorduroso, juntam-se duas folhas de alface e deixa-se aquecer durante dois
minutos; ao retirar as folhas de alface, a gordura excedente adere às folhas.
Para fritar sem que se forme espuma, colocam-se no fundo da frigideira, debaixo do azeite, umas folhas de
alface.
Se um guisado ficou demasiado salgado, junta-se-lhe uma rodela de batata e deixa-se cozinhar.
Para limpar as verduras deixam-se a demolhar num balde, com água fresca, juntando um pouco de vinagre
(3 colheres de chá de vinagre) e uma colher de chá de
sal. Depois lavam-se bem.
Quando se cozinha qualquer tipo de massa, pode juntar-se um raminho de salva, que é a erva mais perfumada.
O tomilho e o alecrim são excelentes nos temperos.
As folhas de laranjeira e valeriana são relaxantes.
Para transtornos hormonais e circulatórios, tome 2 ou 3 taças diárias de uma infusão de salva.
A cenoura possui antioxidantes que atrasam o envelhecimento da pele.
Para evitar picadas de mosquitos, leve nos bolsos ou coloque ao lado da almofada sementes de eucalipto
ligeiramente moidas.
Óleo: recomenda-se que se utlilize sempre oleo limpo e novo. Se não for possível, no óleo usado podem fritar-se rodelas de batata até que estejam bem doiradas (elas absorverão o odor e sabor anterior), e para que o óleo não salpique, aconselha-se que se lhe junte uma rodela de cenoura.
Se o arroz apanha fumo, podemos juntar-lhe umas fatias de pão e tapa-se para que o pão absorva o mau sabor.
O alho porro limpa o intestino e regenera a flora intestinal.
O alcaçuz, chupado lentamente, cura a acidez do estômago e as más digestões.
No caso de ficarem na garganta pequenos objectos (como espinhas de peixe, etc.), pode comer-se uma batata cozida, ou espargos ligeiramente moídos, pois arrastam o corpo estranho.
A banana (em rodelas) é um potente anti-séptico, anti-hemorrágico e calmante (aplicado sobre a pele afectada).
A infusão de folhas de laranjeira alivia as palpitações nervosas.
As folhas frescas de salsa contêm apiol, uma substância activa que desinflama; esfregadas sobre picadas de
insectos, aliviam rapidamente a inflamação.
Para produzir insónias, o café.
Para produzir sono, o coentro e o figo.
Para aliviar a obstipação, como laxativo, sene-da-índia.
Como adstringentes, goiaba, mandioca e romã.
Depurativos, cavalinha, orégão.
Digestivas, aloés, urtiga.
Broncodilatadores, rabanete, eucalipto, cabaceira.
Harmonizadora, salva, arruda.
Com o caldo de grão-de-bico dissolvem-se cálculos renais.
Para uma boa digestão, tome um copo de agua morna em goles lentos.

Ler tambem:

O Que comer?

25. Novembro 2017 by admin
Categories: Alimentação Saudavel | Leave a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *


*